FELIZ 2016

sábado, 31 de agosto de 2013

MAIS UMA:Comentários de jovem do RS sobre negros causam revolta no Twitter !!!

Universitária diz ter sido quase atropelada por casal de negros na capital.
Ao G1, estudante afirmou que se arrependeu de 'brincadeiras maldosas'.


Estudante universitária faz comentários racistas no Twitter e causa revolta em internautas (Foto: Reprodução/Twitter)Jovem faz comentários racistas no Twitter e causa revolta em internautas (Foto:Reprodução/Twitter)Comentários postados na conta do Twitter de uma estudante do curso de Publicidade e Propaganda da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) causaram revolta de usuários da rede social na noite desta sexta-feira (30) pelo conteúdo propagado como racista.Segundo as postagens, um carro com um casal negro quase atropelou a jovem, fato que a teria motivado a escrever: “Acabei de ser quase atropelada por um casal de negros. Depois vocês falam que é racismo, mas TINHA QUE SER, né?”. Em seguida, complementa: “E estavam num carro importado. Certo que é roubado”.Após a polêmica, a internauta gaúcha recebeu diversas mensagens de reprovação de usuários do Twitter. Centenas de mensagens de repúdio foram direcionadas para o perfil da estudante. Frases como: "VAMOS CONSTRANGÊ-LA. Racistas, aqui não"; "ñ ta com nada com esse racismo em .. koé , vai ficar ruim pra ti agora .." (sic); "Que cabeça bizarra dessa moça! Racismo aqui não!"; "puts, quando a frase começa com "eu não sou racista, MAS..." é porque a pessoa vai falar algo racista! que menina ridícula".G1 entrou em contato com Marina Ceresa por meio de seu perfil no Facebook. Ela afirmou não ser racista e disse ter feito brincadeiras de mau gosto. “Que fique claro, o que aconteceu foram brincadeiras maldosas de minha parte, comentários negativos que eu não deveria ter falado publicamente e na rede social errada. Eu não sou racista, deixei especificado na nota que eu coloquei no meu Facebook”, escreveu.Entenda o caso
Ao todo, foram três publicações que ensejaram dezenas de respostas no microblog. “Eu não sou racista, aliás, eu não tenho preconceitos. Mas, cada vez que aprontam uma dessas comigo, nasce 1% de barreira contra PRETOS em mim”, escreveu também a jovem.
As publicações foram compartilhadas por outros internautas, tanto no Twitter como em diversos perfis do Facebook. O Centro Acadêmico Arlindo Pasquali (CAAP) da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUC-RS, onde ela estuda, publicou uma nota lamentando o ocorrido.“O CAAP divulga esta nota para que casos como esse não se repitam. Devemos denunciar e nos posicionar em situações como esta. O nosso papel enquanto centro acadêmico é repudiar veemente esta atitude e não permitir que o racismo esteja presente na Famecos. Lutamos por uma Famecos sem preconceito e, por isso, deixar de expor este acontecimento seria legitimar o racismo presente em nossa faculdade”, diz trecho da nota.Depois do ocorrido Marina deletou sua conta no Twitter, mas manteve seu perfil pessoal no Facebook, onde publicou uma nota se desculpando pelo fato. Depois, esta mensagem também foi apagada.Usuários do Twitter retuitaram ainda postagens feitas no perfil da jovem depois de toda a repercussão na rede social. Neles a menina tenta se explicar. “ MEU DEUS AS PESSOAS NAO SABEM BRINCAR MAIS”. Na sequência ela diz: “Uma das minhas melhores amigas é negra”.Antes, no entanto, ela teria respondido às críticas com as mensagens a seguir, que foram reproduzidas por outros usuários:“Todo mundo aqui é de boa com gays, né? Todo mundo aqui é de boa com mulher que da pra todo mundo, né? Todo mundo (...) gosta de indio, né?” (sic).“Me denunciem.”.“ NINGUEM NUNCA xingou um negro né?” Do G1-RS

Emocionante carta de médico brasileiro a seus colegas cubanos !!!

Carta aos Médicos Cubanos
Por David Oliveira de Souza*
Bem-vindos, médicos cubanos. Vocês serão muito importantes para o Brasil. A falta de médicos em áreas remotas e periféricas tem deixado nossa população em situação difícil. Não se preocupem com a hostilidade de parte de nossos colegas. Ela será amplamente compensada pela acolhida calorosa nas comunidades das quais vocês vieram cuidar.
A sua chegada responde a um imperativo humanitário que não pode esperar. Em Sergipe, por exemplo, o menor Estado do Brasil, é fácil se deslocar da capital para o interior. Ainda assim, há centenas de postos de trabalho ociosos, mesmo em unidades de saúde equipadas e em boas condições.
Caros colegas de Cuba, é correto que nós médicos brasileiros lutemos por carreira de Estado, melhor estrutura de trabalho e mais financiamento para a saúde. É compreensível que muitos optemos por viver em grandes centros urbanos, e não em áreas rurais sem os mesmos atrativos. É aceitável que parte de nós não deseje transitar nas periferias inseguras e sem saneamento. O que não é justo é tentar impedir que vocês e outros colegas brasileiros que podem e desejam cuidar dessas pessoas façam isso. Essa postura nos diminui como corporação, causa vergonha e enfraquece nossas bandeiras junto à sociedade.
Talvez vocês já saibam que a principal causa de morte no Brasil são as doenças do aparelho circulatório. Temos um alto índice de internações hospitalares sensíveis à atenção primária, ou seja, que poderiam ter sido evitadas por um atendimento simples caso houvesse médico no posto de saúde.
Será bom vê-los diagnosticar apenas com estetoscópio, aparelho de pressão e exames básicos pais e mães de família hipertensos ou diabéticos e evitar, assim, que deixem seus filhos precocemente por derrame ou por infarto.
Será bom vê-los prevenindo a sífilis congênita, causa de graves sequelas em tantos bebês brasileiros somente porque suas mães não tiveram acesso a um médico que as tratasse com a secular penicilina.
Será bom ver o alívio que mães ribeirinhas ou das favelas sentirão ao vê-los prescrever antibiótico a seus filhos após diagnosticar uma pneumonia. O mesmo vale para gastroenterites, crises de asma e tantos diagnósticos para os quais bastam o médico e seu estetoscópio.
Não se pode negar que vocês também enfrentarão problemas. A chamada “atenção especializada de média complexidade” é um grande gargalo na saúde pública brasileira. A depender do local onde estejam, a dificuldade de se conseguir exame de imagem, cirurgias eletivas e consultas com especialista para casos mais complicados será imensa. Que isso não seja razão para desânimo. A presença de vocês criará demandas antes inexistentes e os governos serão mais pressionados pelas populações.
Para os que ainda não falam o português com perfeição, um consolo. Um médico paulistano ou carioca em certos locais do Nordeste também terá problemas. Vai precisar aprender que quando alguém diz que está com a testa “xuxando” tem, na verdade, uma dor de cabeça que pulsa. Ou ainda que um peito “afulviando” nada mais é do que asia. O útero é chamado de “dona do corpo”. A dor em pontada é uma dor “abiudando” (derivado de abelha).
Já atuei como médico estrangeiro em diversos países e vi muitas vezes a expressão de alívio no rosto de pessoas para as quais eu não sabia dizer sequer bom dia – situação muito diferente da de vocês, já que nossos idiomas são similares.
O mais recente argumento contra sua vinda ao nosso país é o fato de que estariam sendo explorados. Falou-se até em trabalho escravo. A Organização Pan-americana de Saúde (Opas) com um século de experiência, seria cúmplice, já que assinou termo de cooperação com o governo brasileiro.
Seus rostos sorridentes nos aeroportos negam com veemência essas hipóteses. Em nome de nosso povo e de boa parte de nossos médicos, só me resta dizer com convicção: Um abraço fraterno e muchas gracias.
* DAVID OLIVEIRA DE SOUZA, 38, é médico e professor do Instituto de Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês. Foi diretor médico do Médicos Sem Fronteiras no Brasil (2007-2010)
ScreenHunter_2448 Aug. 31 13.41
David

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

MAMATA: na prefeitura de Solânea-PB

Prefeitura do Brejo da PB aumenta em quase 500% número de contratados sem concurso público
Prefº Beto Brasil (PPS)
É de chamar atenção, o número de contratados sem concurso público feitos nos últimos seis meses pela prefeitura de Solânea, importante cidade do Brejo paraibano que é comandada pelo prefeito Beto Brasil (PPS) e que viu praticamente quintuplicar o numero de funcionários comissionados com um único interesse: fazer política com o dinheiro público.

Segundo dados do Sagres On Line disponibilizados pelo Tribunal de Contas do Estado, o numero de funcionários comissionados sem concurso público por Beto Brasil, saltou de 30 apadrinhados no mês de janeiro, duplicando para 61 no mês de fevereiro, triplicando para 91 em março, atingindo o patamar de 119 contratações em abril, média mantida em maio com 145 nomeações e percebendo uma repercussão negativa contratou mais quatro auxiliares em junho chegando ao patamar de 149 nomiações sem o concurso público.

Também é de chamar a atenção o numero de contratados por parte da gestão com a justificativa de excepcional interesse público, os números também são de chamar atenção: em janeiro 25 nomeações, em fevereiro o mais dez apadrinhados na folha chegando a 35, no mês de março a canetada continuou: triplicando para 91 beneficiados, realidade consolidada em abril com para 101 contemplados, em maio o numero saltou para 111 e em junho 116 aliados de Beto Brasil receberam remunerações em face do excepcional interesse público.
Veja mais no PB Agora

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

SALÁRIO MÍNIMO VERSOS SALÁRIO DE JOAQUIM BARBOSA, VOCÊ QUER SABER ?

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, explica o Projeto de Lei Orçamentária Anual para 2014
A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, anunciou, na manhã desta quinta-feira (29), que o novo valor do salário mínimo deverá ser de R$ 722,90. Trata-se de um aumento nominal de 6,66%.
O texto deve ser votado pela Câmara e pelo Senado, até o fim do ano, para que o reajuste possa valer a partir de 1º de janeiro de 2014.
Belchior esteve no Congresso para entregar ao presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), o Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2014.
"O novo valor incorpora a regra de valorização do salário mínimo que tem sido uma política importante de alavancagem da renda das famílias no Brasil, que tem nos levado a patamares de qualidade de vida muito superiores", disse.

Valor do mínimo ainda pode ser alterado

O valor final do salário mínimo estimado pelo governo ainda poderá ser mudado até o final do ano.
No ano passado, enquanto a proposta original do governo previa um mínimo de R$ 670,95, o valor final aprovado foi de R$ 678.

Salário ideal seria de R$ 2.750,83, segundo Dieese

Para que um trabalhador conseguisse suprir as despesas básicas durante o mês de julho, ele deveria receber um salário mínimo no valor de R$ 2.750,83, segundo levantamento realizado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).
O valor é 380% maior do que o proposta pelo governo para o próximo ano.

Governo estima crescimento da economia em 4%

O governo também fez  uma revisão na estimativa do crescimento econômico para 2013 e 2014. A proposta de Orçamento de 2014 foi elaborada considerando que a economia brasileira crescerá 4%.
O texto que está sendo encaminhado ao Congresso prevê ainda superavit primário de R$ 167,4 bilhões (equivalente a 3,2% do PIB), com possibilidade de abatimento de R$ 58 bilhões em gastos com investimentos e desonerações.
De acordo com a ministra, o impacto do salário mínimo nas contas do governo será de R$ 29,2 bilhões em 2014.

Barbosa pede que Câmara aumente salários de ministros do STF para R$ 30.658

O prsidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, defende salário de R$ 30.658 a seus pares
O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, solicitou nesta quinta-feira (29) à Câmara dos Deputados que o salário de seus pares na Casa seja reajustado para R$ 30.658,42. Se aprovada, a medida impactará em pouco mais de R$ 598 mil no orçamento anual do Supremo, e em cerca de R$ 149 milhões no orçamento do poder judiciário da União.
A proposta, que já chegou à mesa diretora do legislativo na forma do projeto de lei, seguirá para análise das comissões –como as de Constituição e Justiça, Administração e Finanças e Orçamento – e determina que o reajuste vigore a partir de 1º de janeiro de 2014. Hoje, o salário de um ministro do STF é de R$ 28.059,29.
O pedido de reajuste foi formalizado no mesmo dia em que o Ministério do Planejamento anunciou o novo valor do salário mínimo: R$ 722,90, também a partir de 1º de janeiro de 2014. O texto deve ser votado pela Câmara e pelo Senado, até o fim do ano, para que o reajuste possa valer.
No final de 2012, o Congresso já havia aprovado aumento de 15,8% aos ministros do Supremo, mas escalonado em três anos --o que daria índice de pouco mais de 5,2% por ano, a partir de janeiro do ano que vem. Assim, o salário iria a R$ 29.462,25 em janeiro.
Com a proposta de hoje, no entanto, os 5,2% sofrem um acréscimo de 4,06% e ultrapassam os 9,32%, a partir de janeiro.
O reajuste de salário dos ministros do Supremo equivale ao teto do funcionalismo público. Com isso, as modificações de valores ditam o efeito cascata que passa a valer não apenas para o restante da magistratura, como para outras carreiras públicas, como governadores e deputados.
Na matéria, Barbosa justifica que o reajuste é necessário para aliviar perdas decorrentes da inflação de janeiro de 2012 a dezembro deste ano.

SBT mostra esquema de médicos fantasmas na rede pública

E ainda são contra a vinda de médicos estrangeiro para o Brasil. Os quais vem para trabalhar, não enganar o povo, que paga seus sálarios, e realmente nessecita de ajuda médica.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Vereador flagrado em briga é servidor em Campinas-SP e terá conduta apurada;

Raimundo César Faustino é Guarda Municipal na cidade desde 1998.
Ele envolveu-se em confusão na partida entre Corinthians e Vasco.

Raimundo Faustino, o Capá (sem camisa), leva cacetada de policial durante confusão no jogo Corinthians e Vasco, em Brasília (Foto: Jorge William / O Globo)
Capá (de tatuagem)
Briga entre torcedores - Vasco x Corinthians (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)
Capá (de tatuagem)
O vereador Raimundo César Faustino (PT), flagrado em uma briga na partida entre Corinthians e Vasco, além de exercer o cargo no Legislativo da cidade de Francisco Morato (SP), também é Guarda Municipal concursado em Campinas (SP) desde 1998, e terá a conduta apurada na corregedoria, segundo a Prefeitura. Ele pode ser expulso da corporação.

Faustino, conhecido como Capá, envolveu-se em uma confusão no Estádio Mané Garrincha em Brasília (DF) no domingo (25). Em imagens, ele aparece em confronto com policiais militares. A assessoria da Guarda Municipal de Campinas informou que não há incompatibilidade entre exercer o cargo na corporação e ser vereador de Francisco Morato, desde que seja possível cumprir o horário de trabalho previsto.

Ainda segundo a Guarda, Capá está afastado da corporação há 15 dias por motivos médicos. Antes disso, ele desempenhava funções administrativas, sem utilizar a arma, pois responde a outros processos administrativos. A assessoria da Prefeitura disse que não pode informar o motivo pelo qual o vereador estava afastado das ruas.

'Deveria ter agido de outra forma'
Em nota, o guarda disse que é sócio da Gaviões de Fiel desde 1988. Ele afirmou que envolveu-se na confusão para defender um torcedor da ação de agentes de segurança. “No meu ímpeto de defesa, só quis que ele parasse de bater no torcedor. Primeiro tentei colocar a mão na frente de uma borrachada, mas ele continuou e sem pensar chutei o policial. Apanhei bastante por esse chute”, escreveu. Ele também comenta que “deveria ter agido de outra forma”.

Segundo a assessoria da Prefeitura, o salário-base da Guarda é R$ 2,7 mil. O G1 procurou Capá por meio da assessoria de imprensa e também enviou um e-mail para ele comentar as possíveis punições da corporação, mas o vereador não foi encontrado até a publicação desta matéria.


Federação Paulista proíbe brigões da Gaviões nos estádios por 90 dias

Raimundo Cesar Faustino e Leandro Silva de Oliveira, identificados nas imagens de TV, não podem frequentar os estádios paulistas neste período. Ou seja, já estão barrados para o duelo desta quarta-feira, no Pacaembu, entre Corinthians e Luverdense, pela Copa do Brasil.

Leandro Silva de Oliveira, inclusive, já esteve envolvido em um grave episódio de violência: ele era um dos 12 presos em Oruro após a morte do jovem boliviano Kevin Espada, atingido por um sinalizador no duelo entre San José e Corinthians, pela Libertadores.

Confira abaixo trechos da nota oficial da FPF:
"Considerando o que se depreende das imagens e reportagens veiculadas pela mídia esportiva, que demonstram o envolvimento de membros da torcida uniformizada “Grêmio Gaviões da Fiel Torcida”, em ocorrência de violência e promoção de tumulto no intervalo da partida no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, em Brasília/DF, entre as equipes do Clube de Regatas Vasco da Gama (RJ) e do Sport Club Corinthians Paulista, no dia 25 de agosto do corrente; considerando a identificação dos principais envolvidos no referido episódio e considerando que é dever desta Entidade preservar a disciplina nos campos de futebol, resolve proibir a entrada nos estádios, pelo prazo de 90 (noventa) dias, a contar desta data, dos seguintes torcedores associados da torcida organizada “Grêmio Gaviões da Fiel Torcida”:
1)  LEANDRO SILVA DE OLIVEIRA
2)  RAIMUNDO CESAR FAUSTINO             
                A Federação Paulista de Futebol oficiará aos Órgãos de Segurança do Estado, CBF e ao Ministério Público do Estado de São Paulo, para fins de fiscalização no cumprimento desta Resolução".
A diretoria do Corinthians também divulgou na tarde desta terça-feira comunicado oficial repudiando os incidentes. Sobre oenvolvimento de Leandro Silva de Oliveira na confusão com os torcedores do time carioca, o clube defendeu apuração dos fatos e punição exemplar aos envolvidos. O clube ainda afirmou não ter qualquer ligação com as torcidas organizadas do Timão, garantindo que não paga viagens ou fornece ingressos para os corintianos em jogos fora de São Paulo.

MÉDICOS BRASILEIROS ENVERGONHAM O PAÍS !!!

(3931) Armando Paiva: FORTALEZA, CE, 26.08.2013: MAIS MÉDICOS/CE -  Manifestantes ligados ao Sindicato dos Médicos do Ceará (Simce) , realizam protesto durante a saída do grupo de 79 médicos selecionados pelo programa Mais Médicos, do governo Federal, participavam de curso na
A foto acima diz tudo; um médico cubano negro, que chegou ao Brasil para trabalhar em um dos 701 municípios que não atraíram o interesse de nenhum profissional brasileiro, foi hostilizado e vaiado por jovens médicas brasileiras; com quem a população fica: com quem se sacrifica e vai aos rincões para salvar vidas ou com uma classe que lhe nega apoio?
Em nenhum país do mundo, os médicos cubanos estão sendo tratados como no Brasil. Aqui, são chamados de "escravos" por colunistas da imprensa brasileira (leia mais aqui) e hostilizados por médicos tupiniquins, como se estivessem roubando seus empregos e suas oportunidades. Foi o que aconteceu ontem (26) em Fortaleza, quando o médico cubano negro foi cercado e vaiado por jovens profissionais brasileiras.
Detalhe: os cubanos, assim como os demais profissionais estrangeiros, irão atuar nos 701 municípios que não atraíram o interesse de nenhum médico brasileiro, a despeito da bolsa de R$ 10 mil oferecida pelo governo brasileiro. Ou seja: não estão tirando oportunidades de ninguém. Mas, ainda assim, são hostilizadas por uma classe que, com suas atitudes, destrói a própria imagem. Preocupado com a tensão e com as ameaças dos médicos, o ministro Alexandre Padilha avisou ontem que o "Brasil não vai tolerar a xenofobia" (leia maisaqui).
Ontem, o governo também publicou um decreto limitando a atuação dos profissionais estrangeiros ao âmbito do programa Mais Médicos – mais um sinal de que nenhum médico brasileiro terá seu emprego "roubado" por cubanos, espanhóis, argentinos ou portugueses. Ainda assim, cabe a pergunta. Com quem fica a população: com o negro cubano que vai aos rincões salvar vidas ou com os médicas que decidiram vaiá-lo?
Abaixo, reportagem da Agência Brasil sobre a carteira provisória dos profissionais estrangeiros:
Aline Leal Valcarenghi
Repórter da Agência Brasil
Brasília - O governo federal publicou ontem (26) decreto determinando que a carteira provisória dos médicos com diploma estrangeiro que atuarão pelo Mais Médicos deverão trazer mensagem expressa quanto à vedação ao exercício da medicina fora das atividades do programa.
Para atuar no Brasil, médicos formados no exterior precisam fazer o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). No entanto, a medida provisória que cria o Mais Médicos prevê que os profissionais que forem trabalhar por meio do programa não precisarão passar pelo procedimento para atuar no local especificado pelo Ministério da Saúde. Se o médico inscrito quiser atuar em outro local, deverá passar pelo Revalida.
O registro provisório do "médico intercambista" deverá ser solicitado ao Conselho Regional de Medicina (CRM) do estado onde o médico atuará. Os conselhos regionais disseram que entrariam na Justiça para terem o direito de não registrar os profissionais que não têm o Revalida. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que esta é uma determinação legal, e portanto, deve ser cumprida.
Segundo o decreto presidencial, a declaração de participação do médico intercambista no Mais Médicos, acompanhada dos documentos especificados, é condição necessária e suficiente para a expedição de registro profissional provisório e da carteira profissional.O registro deverá ser expedido pelo CRM no prazo de 15 dias a partir da apresentação do requerimento pela coordenação do programa.
O decreto publicado hoje prevê ainda que o supervisor e o tutor acadêmico, que acompanharão trabalho dos médicos que atuarão pelo programa, poderão ser representados judicial e extrajudicialmente pela Advocacia-Geral da União, entidade que defende a União.
Os tutores são professores indicados pelas universidades federais que aderiram ao programa. Já os supervisores podem ser profissionais de saúde ou docentes das instituições. De acordo com o Ministério da Educação, que determina o processo de supervisão, haverá um tutor para cada dez supervisores, e um supervisor para no máximo dez médicos. Os supervisores deverão fazer visitas periódicas aos médicos, no mínimo uma por mês.

A jornalista potiguar Micheline Borges, que, em uma declaração nas redes sociais disse que as médicas cubanas “têm uma cara de empregada doméstica”,

A jornalista potiguar Micheline Borges que em uma declaração nas redes sociais disse que as médicas cubanas “têm uma cara de empregada  doméstica”, se retratou da declaração após a repercussão que sua fala teve não só nas redes sociais como na mídia. Esse foi mais um episódio de preconceito contra os 400 profissionais cubanos recém chegados ao Brasil para participar do programa Mais Médicos.
“Eu peço desculpas, foi um comentário infeliz, foi mal interpretado, era para ser uma brincadeira, por isso peço desculpa para as empregadas domésticas”, disse a jornalista.
“Me perdoem se for preconceito, mas essas médicas cubanas têm uma cara de empregada doméstica. Será que são médicas mesmo? Afe, que terrível. Médico, geralmente, tem postura, tem cara de médico, se impõem a partir da aparência... coitada da nossa população. Será que eles entendem de dengue? E febre amarela? Deus proteja o nosso povo”, foi a declaração postada por Micheline no Facebook, o que gerou uma séria de discussões com outros internautas.
Em virtude da proporção que o caso tomou, Micheline deixou as redes sociais, mas diz que não chegou a ouvir ameaças mais graves. “Só baixarias e palavras de baixo calão, mas as pessoas interpretam as coisas da forma que querem, e nas redes sociais não tem como controlar”, afirmou.
HÁ PESSOAS QUE DEVERIAM, PENSAR SÓ UM POUQUINHO ANTES DE ABRIR SUA BOCA. 
1º DOMESTICA, SÃO MULHERES TRABALHADORES, E SE VESTEM BEM, MESMO SEM SEREM MODELOS, O TRABALHO DELAS NÃO É PARA EXIBI-SE, E SIM PARA SOBREVIVER.
2º MÉDICO, É, E SEMPRE SERÁ MÉDICO, EM QUALQUER LUGAR DESTE MUNDO.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Filhos de presidente de sindicato do RS se formaram em Cuba. Não. Sim !!!

Líder de uma entidade que tem se oposto à "importação" de médicos sem revalidação do diploma no Brasil, o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Paulo de Argollo Mendes, tem dois filhos, também médicos, formados em Cuba. Paulo Clemente de Argollo Mendes e Marco Antônio de Argollo Mendes cursaram medicina no Instituto Superior de Ciências Médicas de Camagüey entre 1997 e 2004 e estão registrados no Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers).

A família não comenta o assunto em entrevistas, mas Argollo Mendes, o pai, em resposta a uma consulta da reportagem, emitiu nota na qual destaca que não há qualquer incoerência entre o discurso que faz e a formação dos filhos. "O presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Paulo de Argollo Mendes, faz questão de se pronunciar e reiterar que a sua posição pessoal e a do Simers são exatamente as mesmas das entidades médicas nacionais", diz o texto. "Seus filhos revalidaram o diploma no Brasil, tal como preconizam todas as entidades médicas".

Quando os irmãos Mendes foram estudar em Camagüey, um acordo entre Brasil e Cuba previa o registro automático dos diplomas de quem se formasse em universidade de um dos dois países. Quando voltaram, o pacto não vigorava mais. Havia sido extinto em 1999. Os dois médicos pediram a revalidação à Universidade Federal do Ceará (UFC) quando a instituição abriu edital para os interessados, em setembro de 2005.

A universidade informou nesta segunda-feira (26) que, diante da exigência que fez, de alguns complementos curriculares, os irmãos cursaram as disciplinas que faltavam na Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) e encaminharam o novo histórico escolar em agosto de 2008. Em setembro daquele ano tiveram seus diplomas validados no Brasil.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Nerópolis (GO) gasta R$ 40 mil por mês com Segurança, que é obrigação de outros entes.,

A Segurança não é dever dos Municípios, e sim dos Estados e da União. Mas, mesmo assim, a Prefeitura de Nerópolis, no interior de Goiás, gasta R$ 40 mil por mês com o setor. O dinheiro dos cofres municipais paga uma espécie de “hora extra” de policiais para diminuir os índices de criminalidade local.
O prefeito de Nerópolis, Fabiano Luiz, esteve em Brasília, durante reunião da Confederação Nacional de Municípios (CNM), no dia 20 de agosto. Ao presidente Paulo Ziulkoski e colegas prefeitos, ele expôs que “não tem escolha. Se cortar esse serviço, a população não entende”.
Nerópolis possui quase 24,5 mil habitantes e apresentava índices alarmantes de criminalidade. Por isso, o governo municipal decidiu arcar com melhorias na Segurança. Há dois mandatos anteriores ao atual foi criado um sistema de contratação de policiais no período de folga para trabalhos extras.

Como funciona o convênio
Os profissionais recebem da Prefeitura para fazer rondas na cidade e na zona rural. São três viaturas na zona urbana e uma nas fazendas. “O comandante faz uma seleção e envia os policias para o trabalho. A prefeitura paga essas horas extras, que chegam ao máximo a 40 mil mensais”, explica o prefeito.
Além da patrulha, o governo cedeu funcionários da Prefeitura para a administração do serviço. Esse convênio obedece a uma lei aprovada pela Câmara de Vereadores. “Não tive como não continuar, porque se a criminalidade volta, a população não vai culpar o governador. Ela cobra quem está na ponta”, lamenta o gestor.
O convênio com a Polícia Militar custa a Nerópolis aproximadamente R$ 480 mil por ano. Dinheiro que podia ser empregado em setores de responsabilidade do ente municipal. No entanto, para Fabiano, apesar de ser dever do Estado, é fundamental para o Município. Por isso, a solução encontrada é a criação da guarda municipal.
Conselho da CNM“Estamos em fase de estudo para saber dos custos. Talvez seja o mesmo ou até menos que o convênio. Também vou tentar uma audiência com o governador. Vamos cobrar isso, porque não tem como cortar. Tem um concurso em andamento para chamar mais policiais. Ainda ajudo um hospital deles com outros R$ 100 mil por mês”, conta.
Em relação a este caso, Paulo Ziulkoski aconselhou o prefeito. “Não faça isso. Faça como a presidente e o governador, apenas sua obrigação. Você será o melhor prefeito”. Para o líder do movimento municipalista, apesar da necessidade em se aplicar recursos em outras áreas, como a Segurança, é preciso evitar gastos que não são dever do ente Município.
Saiba quais as competências comuns dos três entes – União, Estados e Municípios – no artigo 23, e dos Municípios, no artigo 29 daConstituição Federal 1988.

sábado, 24 de agosto de 2013

Juiz consegue em 45 dias zerar o número de processos na comarca de Arara-PB;

O juiz da comarca de Arara-PB, Anderley Ferreira Marques, é um dos mais jovem a ingressar na magistratura, da leva do último concurso de sua categoria, realizado pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. A diferença é que, agora, o magistrado conseguiu zerar o número de processos na comarca. Quando assumiu a comarca de Arara em 2012, encontrou a unidade judiciária com um acervo processual de cerca de 600 processos, na grande maioria, de natureza criminal.
A marca de celeridade do Juiz Anderley Ferreira não se limitou à Arara-PB. Na cidade de Picuí-PB, onde a natureza criminal não é acentuada, o juiz conseguiu reduzir de 6 para 5 mil o número de processos, quando ele esteve acumulando a comarca no mês passado. “Em um único dia consegui proferir mais de 100 sentenças, durante a realização das chamadas Ações de Massa”, revelou o magistrado.
Com muita determinação o juiz está mudando a realidade da Justiça, obtendo resultados até então inéditos, que é conseguir diminuir o número de processos e, por conseguinte, o trâmite processual na comarca de Arara-PB. O ritmo do juiz tem feito com que o tempo de tramitação despenque cada vez mais, naquela unidade judiciária. “O grande mérito tem sido eliminar os atos inúteis ou desnecessários, para que o tempo de tramitação sofra redução”, ressaltou o juiz.
Disposição e organização foram o que não faltaram ao juiz. “Passei a priorizar e agilizar, principalmente, aqueles processos mais rápidos , com por exemplo, os que envolvem despacho simples e os de um mesmo teor. Dessa forma, despachei em lote e, com isso, ganhamos tempo. A partir do momento que você antecipa, vai ter mais tempo para dispor naqueles processos que vai precisar de uma maior atenção e empenho”, recomenda.
E foi isso que o juiz Anderley adotou como meta de trabalho, conseguindo após um mês e meio, zerar os processos da comarca. “Isso não quer dizer que despachei apenas 600, foi bem mais, porque a partir do momento que você despacha 40, vem mais 20”, explica o juiz.
Além da celeridade, uma prática que vem sendo adotada pelo gestor da comarca de Arara tem sido a de valorizar o emprego da portaria dos atos ordenatórios, ação esta prevista no Código de Processo Civil e que está em pleno desenvolvimento na comarca que dirige.
Para o juiz, não existem mágicas nem receitas milagrosas para você resolver a situação com relação a acumulação de processos. “É preciso incrementar boas ideias para conseguir um resultado produtivo. E cito, como exemplo, a identificação dos processos. A partir do momento que você tem a seu favor a facilitação visual do processo, se tem como agrupá-lo em cada fase, situação e estilo e, desse modo, trabalhar melhor”, ressaltou.
Uma outra facilitação que vem ajudando e que foi ressaltado pelo juiz como importante para alcançar tal resultado tem sido a “valorização do espaço roteiro”, que segundo explicou, consiste e se desenvolve coma a participação de muitos atores: juizes,advogados, Ministério Público”, explicou.
“Isso funciona como uma dança em que cada um tem o seu papel. Quando o juiz, diretor do processo, consegue enumerar cada fase e dar um despacho único, representa ganho de tempo”, afirmou.
Anderley Ferreira contou que foi a experiência como advogado e defensor público que utilizou para fazer com que o processo tivesse a menor duração possível. Ele lembrou que, mesmo tratado-se de ações penais e previdenciárias, que requerem uma maior tempo, conseguiu proferir sentenças em oito até seis meses. “Isso representa um tempo importantíssimo para juizes, atores, e para o Poder Judiciário estadual”, enfatizou.
Para magistrado, todos ganham com a adoção de ações que garantam celeridade processual; as partes interessadas e até mesmo os serventuários, que ele faz questão de dispensar mesmo antes do fim do expediente sob a seguinte alegação: “Trabalhando bem, não precisa trabalhar muito!”.
Gecom

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Deputado Federal paraibano deixa todos surpresos ao apresentar emenda pra o Estado de São Paulo; Entenda

Deputado Federal paraibano deixa todos surpresos ao apresentar emenda pra o Estado de São Paulo; Entenda
O deputado federal Damião Feliciano, presidente do PDT da Paraíba, surpreendeu ao destinar uma emenda individual para uso do Estado de São Paulo.

É que o pedetista incluiu a destinação de R$ 200 mil na emenda 35300005 para melhorar os equipamentos e aumentar a demanda de atendimentos do Instituto do Coração, renomado centro hospitalar da capital paulista.

O Incor é um hospital público universitário de alta complexidade, especializado em cardiologia, pneumologia e cirurgias cardíaca e torácica, integrando o Hospital das Clínicas.

Para sua manutenção, conta com o suporte financeiro da Fundação Zerbini, entidade privada sem fins lucrativos.

Folha do Sertão

NO BRASIL: ACUSADOS SÃO INOCENTES, VÍTIMAS SÃO OS CULPADOS !

'Achei que lei ficaria do meu lado', diz ciclista atropelado em SP.

'Achei que lei ficaria do meu lado', diz ciclista atropelado em SP após a Justiça processar o motorista por lesão corporal
David Santos (a vitima, o culpado)
David Santos, 21, ciclista que perdeu um braço ao ser atropelado na avenida Paulista (no centro de São Paulo) em março, disse ontem que a decisão da Justiça de processar o motorista por lesão corporal --crime pelo qual não há júri popular-- o deixou "muito mais revoltado".

"Achei que a lei ficaria do meu lado", disse David. "É muito injusto, não só comigo, mas com outras vítimas de acidente de trânsito", afirmou o jovem.

Em decisão unânime, o Tribunal de Justiça de São Paulo negou a acusação de tentativa de homicídio com dolo eventual, como pedia a Promotoria, a Alex Kozloff Siwek, acusado de atropelar David.

Para o advogado Pablo Naves, que representa Siwek, a decisão já era esperada. "Nós sempre sustentamos ser impossível essa tese. É incompatível o dolo eventual com um crime que não ocorreu".

Naves explica que respondendo por lesão corporal, Siwek poderá ser enquadrado na lei de trânsito, no Código Penal como lesão culposa ou ainda no Código Penal como lesão dolosa. As penas nesses três casos podem variar de 2 meses a 8 anos de prisão.

Na decisão, o desembargador Breno Guimarães afirmou que "em acidentes de trânsito, a regra é a ocorrência de culpa (negligência, imprudência ou imperícia), sendo o dolo (direto ou eventual) aceito em situações excepcionalíssimas. Logo, não se pode transformar, a legislação especial em simples apêndice do Código Penal, ou seja, não se pode tomar a exceção como regra".

ACIDENTE
David seguia para o trabalho no domingo (10) no momento do acidente e teve o braço direito decepado ao ser atingido pelo carro do universitário, que voltava de uma casa noturna. Siwek foi preso em flagrante após ter se entregado à polícia. Ele fugiu sem prestar socorro e disse ter atirado o membro do ciclista em um rio, na zona sul.

Sousa admitiu à polícia que trafegava na contramão da ciclofaixa quando foi atingido pelo carro do estudante. Uma testemunha afirma que Siwek invadiu a ciclofaixa em alta velocidade.

Segundo laudo do IML (Instituto Médico Legal), Siwek estava com sinais de embriaguez no momento do acidente. O laudo, porém, afirma que o motorista não estava embriagado, despertando dúvidas na polícia, que questionou o IML.

Na quarta-feira (13), o juiz Kleber Leyser de Aquino, do Dipo (Departamento de Inquéritos Policiais), decretou a prisão preventiva de Siwek. O estudante, que estava preso no CDP (Centro de Detenção Provisória) do Belém 2, na zona leste da capital, foi transferido para a penitenciária de Tremembé.

Também na sexta, Sousa passou por um novo procedimento cirúrgico no Hospital das Clínicas, onde continua internado. Ele disse no hospital que o motorista atravessou o farol vermelho antes de acertá-lo. A defesa do atropelador disse que vai aguardar a perícia para se manifestar.

No dia do acidente, ciclistas fizeram manifestações na avenida Paulista. No último domingo (17), dois outros protestos foram realizados na avenida. No sábado (16), a avenida amanheceu com um braço de plástico afixado em um poste, simbolizando o acidente.
Alex Siwek (acusado, o inocente)

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

BLOG OLHO DE MULHER NO SBT MANHÃ !!!

A belenense Edilene Amaral, ''editora do Blog Olho de Mulher", enviou para o SBT manhã este video.

Blog Olho de Mulher

Governo libera R$ 790 milhões para projeto do Rio São Francisco

 O Ministério da Integração Nacional assinou três novas ordens de serviço para o Projeto de Integração do Rio São Francisco desde o início do mês, autorizando a aplicação de mais de R$ 790 milhões no empreendimento. Do total, R$ 347,9 milhões serão destinados à construção de canais, estações de bombeamento, reservatórios e pontes no Eixo Leste. Os R$ 442,7 milhões restantes serão investidos nas construções de novos reservatórios no Eixo Norte.
Segundo o governo, a aplicação dos recursos vai possibilitar a criação de mais de mil postos de trabalhos. O projeto tem atualmente mais de 6 mil empregados.
Desde o início do ano, foram emitidas dez ordens de serviços para o projeto. Dos 16 lotes de obras que compõem a construção do empreendimento, dois já estão concluídos: o Canal de Aproximação dos eixos Norte e Leste. Outros 12 ainda estão em andamento e os lotes 6 e 7 serão retomados com a conclusão do processo licitatório da Meta 3N, que já está em curso.
O projeto faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e tem conclusão prevista para 2015. O objetivo do empreendimento é garantir o fornecimento e abastecimento de água a mais de 390 municípios, localizados nos estados de Pernambuco, do Ceará, da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Ratinho corajoso tenta salvar 'amigo' de cobra gigante

AMIGOS ATÉ NA MORTE !!


No zoológico da cidade chinesa de Zangzhou, na província de Zhenjiang, dois ratinhos foram protagonistas de uma cena inesperadamente comovente.
Enquanto uma cobra atacava um dos ratos, depositados lá justamente para serem alimentos das duas cobras que saiam de um grande período de hibernação, o outro ratinho, expressando lampejos de bravura e coragem, saiu em defesa de seu colega e bravamente atacou o réptil, pulando em sua cabeça e tentando fazer de tudo para livrar seu amigo daquele terrível destino.

Zelador recebe indenização por danos morais

Desrespeito e racismo custaram caro para um morador de um edifício da Vila Buarque, região central de São Paulo. O indivíduo usava palavras de baixo calão e de caráter racista contra o Zelador do condomínio, pessoa que há mais de dez anos trabalhava e residia no local.
As ofensas atingiram tal gravidade que se tornaram assunto em Assembléia do prédio, ocasião em que foram registradas na Ata. Com isso, o Zelador reuniu a Ata e o testemunho de outros moradores, e decidiu entrar com uma ação de indenização por danos morais contra aquelas ofensas. Para isso, ele procurou o Departamento Jurídico do Sindifícios.
O resultado saiu a favor do trabalhador, que teve dificuldade para receber o valor da indenização aplicada pelo Juiz de Direito da 1ª Vara do Juizado Especial Civil do Foro Central de São Paulo. Mesmo com demora, o montante foi pago com juros e correção monetária.
O atendimento recebido pelo Zelador em questão no Departamento Jurídico do Sindicado foi ágil, grátis e eficaz pela experiência em atender a categoria. O resultado não se mede apenas em números, mas ajuda o Zelador a resgatar sua imagem de trabalhador honesto, ordeiro e cumpridor de suas funções como sempre foi.
Sem citar o nome dos envolvidos na matéria, o ocorrido serve de exemplo para quem, nos dias de hoje, esquece que cidadania, civilidade e respeito devem fazer parte da rotina de quem vive em sociedade.
Se você vive situação semelhante, não espere tanto tempo para denunciar e procure o Sindicato hoje mesmo. 

Fonte: Sindificios