FELIZ 2016

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

TORNEIO DO DIA DE NATAL

O 1º Festival de Futebol de Campo do Dia de Natal, no Sítio Lagoa do Braz em Dona Inês foi um sucesso.
Teve como campeão o Cruzeiro do Sítio Marizinho. O vice-campeão foi o Vitória do Sítio Lagoa do Braz. O 3º lugar ficou com o Corinthians do Sítio Queimadas.
Agradecemos aos amigos que estiveram presentes.

Algumas fotos do evento:


Cruzeiro campeão

Vitória vice-campeão

Corinthians 3º colocado

Bahia

Goiás

São Caetano

Time do Maluco

Internacional

Grêmio

Dé Grande,Dé Anízio e Basto







terça-feira, 26 de novembro de 2013

OUTROS ''SIM" EU ''NÃO" !

PSDB pede demissão de ministro e acusa PT de usar cartel para abafar mensalão.


O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), anunciou nesta terça-feira, 26, uma série de medidas para tentar rebater denúncias envolvendo políticos do seu partido em suspeitas de corrupção e formação de cartel em São Paulo.


Em entrevista coletiva ao lado de dirigentes da legenda, o senador e provável candidato do PSDB à Presidência pediu a demissão do ministro José Eduardo Cardozo. "Acho que ele (Cardozo) perdeu as condições de ser o coordenador dessas investigações como ministro da Justiça, pelo açodamento e omissão nesse processo", disse Aécio. "O PT faz um mal enorme para a democracia, ao fazer do poder sua razão de existir", completou.
Titular da pasta da Justiça do governo Dilma Rousseff, Cardozo diz ter encaminhado à Polícia Federal um documento no qual um ex-diretor da Siemens cita como destinatários de propina o deputado federal licenciado Edson Aparecido (PSDB), atual chefe da Casa Civil do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o deputado federal Arnaldo Jardim (PPS), ligado aos tucanos paulistas.
O documento, de autoria do ex-diretor da multinacional alemã Everton Rheinheimer, consta do inquérito Polícia Federal que apura o escândalo dos trens. Outros políticos, como o líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), cotado para ser vice na chapa presidencial de Aécio, são citados como sendo próximos do lobista Arthur Teixeira, suspeito de intermediar propinas pagas pelas empresas do cartel. Todos negam enfaticamente ter participado de qualquer ilegalidade.
Cardozo afirma ter recebido o documento do deputado estadual licenciado Simão Pedro (PT), hoje secretário municipal de Serviços da gestão Fernando Haddad (PT) em São Paulo. Na versão que consta nos autos do inquérito da Polícia Federal, porém, o documento foi enviado aos investigadores pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), comandado por Vinícius Carvalho, que já trabalhou com Simão Pedro.
O teor do documento foi revelado pelo Estado na semana passada.
Os colegas de Aécio foram mais contundentes ao compararem o imbróglio envolvendo o envio do dossiê à PF ao escândalo dos "aloprados". Nesse episódio anterior, petistas são acusados de comprar um dossiê na eleição de 2006 para comprometer o candidato José Serra ao governo paulista. "A única diferença desse episódio para o caso dos aloprados é que esse caso envolve um deputado, um ministro e o presidente do Cade", disse Carlos Sampaio, líder do PSDB na Câmara.
Medidas. O PSDB informou que além de encaminhar a representação à Comissão de Ética Pública da Presidência da República, também tentará convocar o ministro da Justiça para depor na Câmara e no Senado e vai representar contra Cardozo no Ministério Público Federal por improbidade administrativa.
Para os tucanos, o ministro não poderia encaminhar à PF um documento "apócrifo". O PSDB se utiliza do fato de Everton Rheinheimer ter divulgado nota oficial, após o caso vir à tona na semana passada, na qual dizia que o documento era a "anônimo". Aos policiais federais, porém, o ex-diretor da Siemens afirmou ser de fato o autor daquelas denúncias.
Para os tucanos, o caminho correto a ser adotado por Cardozo, ao receber o documento, seria enviá-lo à Procuradoria-Geral da República (PGR), uma vez que há parlamentares citados, com direito a foro privilegiado. Tanto o Cade quanto a Polícia Federal são subordinados ao Ministério da Justiça.
Edson Aparecido acusou o deputado Simão Pedro de ter adulterado denúncia anônima encaminhada ao ombudsman da Siemens em 2008, apontando práticas ilegais da empresa no Brasil para incluir nesse texto acusações aos tucanos. Segundo o chefe da Casa Civil de Alckmin, o documento original está redigido em inglês e Simão teria feito uma "tradução petista" do texto. Ele acusou ainda o Cade de não tomar iniciativas para investigar outras denúncias de cartel envolvendo verbas federais. "É uma investigação seletiva", disse Edson Aparecido.
Estado também mostrou, no início de novembro, que Simão Pedro levou as denúncias sobre o cartel metroviário ao presidente do Cade meses antes de o órgão, que regula a concorrência no País, anunciar, este ano, um acordo de leniência com a Siemens, no qual a multinacional admitiu irregularidades em troca da redução de eventuais sanções. A investigação é sobre contratos de 1998 a 2008, período em que São Paulo era governado por políticos do PSDB.
Omissão. Aloysio Nunes Ferreira disse nesta terça que pediu também a convocação de Carvalho para que ele explique o motivo de ter omitido do currículo o fato ter trabalhado para o deputado Simão Pedro antes de assumir o Cade. Documento da Assembleia Legislativa paulista registra a passagem de Carvalho pela chefia de gabinete de Simão Pedro entre 19 de março de 2003 e 29 de janeiro de 2004.
Em setembro, o Estado revelou que Carvalho omitiu em ao menos quatro currículos oficiais, entre eles o apresentado na sabatina no Senado para assumir o comando do Cade, o fato de ter sido filiado ao PT e trabalhado como chefe de gabinete de Simão Pedro na Assembleia paulista, entre 2003 e 2004.
Além da convocação, o senador também vai trabalhar para que Carvalho seja destituído do cargo. "Estou assim como Pilatos entrou no credo. Não tenho nada a ver com essa porcaria", disse.
O secretário de Energia do Estado de São Paulo, José Aníbal,também citado como próximo do lobista Teixeira, disse que o PT tinha a denúncia que acusa os tucanos de terem sido corrompidos por empresas do esquema do cartel desde junho, mas só deixou vazar a informação após a prisão dos condenados no processo do mensalão. "O ministro passou a agir como operador do submundo. Ele deveria saber que o que fez foi uma indignidade", disse Anibal.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Dia da Consciência Negra

Dia Nacional da Consciência Negra  é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra.
A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi  dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar da resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1549).
Algumas entidades como o Movimento Negro (o maior do gênero no país) organizam palestras e eventos educativos, visando principalmente crianças negras. Procura-se evitar o desenvolvimento do auto-preconceito, ou seja, da inferiorização perante a sociedade.
Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.
O dia é celebrado desde a década de 1960, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos.
Feriado regional em algumas cidades brasileiras.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Neste domingo 17 de novembro, Dona Inês-PB comemora 54 anos de emancipação política

Parabéns ''Dona Inês" !!!

O município de Dona Inês, localizado na região do Curimataú paraibano, comemora neste domingo, 17/11/2013, o seu 54º aniversário de emancipação política
 Nossa bandeira
 Nosso Brasão

 Dona Inês-PB-Anos 80

 Dona Inês-PB -Atual
MAIS FOTOS DE DONA INÊS
(http://www.facebook.com/dona.ines.127)
HISTÓRIA
O registro mais antigo da história de Dona Inês data de 1852, na fachada da Igreja-Mãe, onde foi o núcleo da vila que se tornou emancipada em 1959. Conta a história oficial que por volta de 1800, vaqueiros em busca de reses encontraram uma mulher branca de nome Inês, acompanhada de um negro, acampada ao pé do enorme lajedo onde existe até hoje um pequeno açude de nome Cajueiro. Ela se disse filha de Dono de Engenho e que estava fugindo por não ter o seu amor pelo companheiro, o negro, aceito e reconhecido. Essa mulher dita como fina e bonita nunca mais foi vista, mas a sua passagem não foi jamais esquecida, vindo a dar nome ao lugar. Em 1852, Dona Inês pertencia a Bananeiras, local muito desenvolvido de ocupação desde o século XVII, quando Domingos Vieira e Zacarias de Melo receberam Sesmarias na região, cuja produção de cana-de-açúcar e de café era muito grande e permitiu a formação da nobreza política e a construção dos seus casarões e escolas e até a linha férrea. Por essa época, Araruna também já era uma vila desenvolvida, suas terras pertenciam a um homem importante de Bananeiras chamado Estevão José da Rocha. Do outro lado havia Caiçara e Serra da Raiz, esta encravada no alto da Serra da Cupaóba, palco de combates entre portugueses e aliados índios Tabajaras contra franceses e aliados índios Potiguares. Então é de se supor que a Serra de Dona Inês, situada no meio desses três locais anteriormente desenvolvidos, também se povoou bem mais cedo do que se tem notícia. É inegável que na serra habitavam os índios da nação potiguar haja vista os sinais rupestres encontrados na Pedra do Letreiro, localizado no riacho da Serra, tributário do Rio Curimataú, e nesse rio, no local conhecido como Poço do Caboclo, próximo da localidade Umari.
Sendo parte do território de Bananeiras, assim como Araruna, Borborema e Solânea, Dona Inês não conseguia se desenvolver, pois tudo ia para a matriz. De fato, Bananeiras conseguiu um grande avanço devido atrair cidadãos poderosos econômico-político-socialmente, encantados com o clima e com o solo, além da água farta. Em 1850, Bananeiras atingiu o apogeu, o seu café concorria com o café paulista e se supunha que ali nasceria uma nova São Paulo, mas o sonho foi por água abaixo pelo aparecimento de uma praga que botou tudo a perder. Não obstante, já estava montado o parque de casarões, de instituições imperiais, escolas, etc.
Os primeiros habitantes que se tem notícia, os nomes, na cidade: os senhores José Paulino da Costa, Pedro Teodoro da Silva e Pedro José Teixeira, trouxeram para cá suas famílias e batizaram o lugar como “Serra de Dona Inês”, dando ouvidos à história que corria de boca-em-boca. Mas tem-se conhecimento de outras famílias na Zona Rural bastante antigas, como os Ferreira e os Gomes, no Sítio Queimadas.
Conta-se também de Zé dos Santos, homem muito trabalhador e inteligente, que habitou na região de Sítio Queimadas, comunidade localizada a 5 km da sede municipal. Ele teria conseguido uma data de terra diretamente do Imperador D. Pedro I, através de solicitação por carta, abrangendo toda a região de Queimadas, Pedra Lavrada, Tanques, Lajedo Preto, até o Curimataú, pois naquele tempo, as concessões eram realizadas de um a outro ponto formado por fronteira natural, como rios, montanhas, etc.
Com o passar dos anos, em 1943, por força do Decreto Lei nº. 520 o pequeno povoado passou a condição de Vila, onde na Divisão Administrativa do Brasil para o qüinqüênio 1944/1948, Serra de Dona Inês ainda figurou como Distrito de Bananeiras/PB. Na Câmara de Vereadores de Bananeiras com mandato de 1947 a 1951, constavam dois donainesenses: José Tomaz de Aquino (Zé Cardoso) e Luís Pedro da Costa (Lulinha). Estes dois foram os baluartes da independência de Dona Inês, aliados a alguns vereadores de Borborema. Receberam a força de um donainesense muito ativo e inteligente, que também foi vereador, o Sr. Leonel Paulino. A luta deles percorreu toda a década de 50.
Por volta de 1959, a Sede do Distrito de Serra de Dona Inês era composta por 277 (duzentas e setenta e sete) residências e possuía uma população de 689 (seiscentos e oitenta e nove) habitantes. Era um vilarejo muito pobre, cheio de buracos e com proliferação de casas de palha e gravatá. Seu povo era pacato e trabalhador. O comércio quase não existia. Predominava no Distrito a agricultura de subsistência (feijão, mandioca, fava, milho, etc.), sendo a produção de sisal (agave) e algodão, o sustentáculo econômico. Para ilustrar, havia apenas a Rua Manoel Pedro e um ajuntamento de casas para diante e para trás da Igreja-Mãe, e mais algumas descendo na direção do Tanque Velho. O mercado onde se vendia carnes ficava no prédio onde durante décadas funcionou a venda de passagens da Itapemirim, ao lado do Cruzeiro.
Dessa época destacavam-se várias famílias que ajudaram a formar a sociedade donainesense, dentre as quais são sempre citados os senhores Gerôncio, S. Didi, S. Naun, Manoel Pedro, Prof. Edilon, Francisco Enedino, Antonio Pereira, Manoel e Pedro Praieiro, Joaquim Lucas, Gabriel Bento, Zé Birro, Severino Ramos, Manoel Borges, José Maia, etc.
A administração de Bananeiras para com o Distrito de Serra de Dona Inês era extremamente precária. Contato com autoridades praticamente não existia, exceto em período eleitoral. Havia apenas a Agência dos Correios e Telégrafos, o destacamento policial, um fiscal para cobrança de impostos e como obra realizada, o tanque velho.
Movimento da Emancipação: Movidos pela necessidade de crescimento do Distrito de Serra de Dona Inês, tanto na ampliação do comércio, como na formação educativa (escolar) da população e, levando em consideração o pouco caso com que Bananeiras assistia o Distrito, o Senhor José Tomaz de Aquino (Zé Cardoso), e os Vereadores Manoel Leonel da Costa (Leonel Paulino) e Luiz Pedro da Costa ( Lulinha), intermediados pelo Vereador Bananeirense, Senhor Elói Farias, juntaram-se aos Vereadores representantes do Distrito de Borborema, propuseram e conseguiram aprovar na Câmara de Bananeiras a Resolução Nº 36, de 17 de abril de 1959 (“concede desmembramento ao Distrito de Dona Inês”). Contando com o empenho do então Deputado Estadual Humberto Coutinho de Lucena, foi encaminhado a apreciação da Assembléia Legislativa o Projeto de Lei Nº 231/58 que criava o Município de Dona Inês/PB, composto por dez (10) Artigos. o referido Projeto de Lei recebeu duas (02) emendas, apresentadas pelo também Deputado Estadual Clovis Bezerra Cavalcanti: uma diminuía os limites territoriais do futuro Município e a outra suprimia a Comarca. Assim, em 19 de junho de 1959, o então Governador, Senhor Pedro Moreno Gondim, homologou a Lei Nº 2.141 (publicada no Diário Oficial do Estado em: 21 de junhode 1959), dando ao Distrito de Serra de Dona Inês, sua autonomia político-administrativa. No entanto, sua instalação oficial só ocorreu no dia 17 de novembro de 1959 (Emancipação Política). A partir de então, desapareceu o início do topônimo (Serra) ficando denominado apenas de Dona Inês (homenagem a primeira pessoa encontrada na Região).
Foi realmente uma luta árdua a da Emancipação, haja vista que Bananeiras se sentia forte politicamente, com a família Bezerra muito bem posicionada e uma das maiores latifundiárias da região, tendo à frente o Major Augusto Bezerra e o filho Deputado, Dr. Clóvis Bezerra, que viria a governar o Estado tempos depois. Dona Inês era o quintal político de Bananeiras. Certamente, colocaram muitos empecilhos para a Emancipação não sair. Por outro lado, quando não teve jeito, trataram de eleger o primeiro prefeito e de irmanar-se com os líderes locais.
Quanto ao Governador que assinou a Lei de Emancipação, Pedro Gondim, ficou imortalizado o momento em que chegou com a sua comitiva e cumprimentou os populares e políticos, na Av. Manoel Pedro, na esquina com a R. José Paulino. Uma foto foi guardada e reproduzida por D. Raimunda Pereira, constando atualmente no sitio da Prefeitura Municipal.
A emancipação saiu em 1959 e só haveria eleição regular no ano seguinte, portanto, o governador nomeou o Sr. José Tomaz de Aquino como Prefeito até que se realizasse a eleição. O seu mandato durou 11 meses. Na primeira eleição, em 1960, venceu o latifundiário bananeirense Mozart Bezerra Cavalcanti, cuja família detinha o poder territorial de quase toda Bananeiras e tinha um irmão deputado.
Mozart Bezerra chegou com força, após derrotar nas urnas a Manoel Alves Irmão, e abriu a avenida que levou o nome do seu pai, Major Augusto Bezerra e as transversais, José Paulino, Ana da Conceição Melo, José Carolino e Pedro Teixeira, homenageando os pioneiros. Construiu a Prefeitura no local atual, o Mercado Público, o Posto de Saúde, o Grupo Escolar e a estrada que liga Dona Inês a Bananeiras e Dona Inês ao Bilinguim. Implantou a energia elétrica em parte da Av. Manoel Pedro. Mozart renunciou para concorrer à Prefeitura de Bananeiras e assumiu o seu Vice, o Sr. Francisco Avelino da Silva durante um ano. A primeira Câmara de Vereadores foi composta de 4 componentes: Luís Pedro da Costa, Antonio Luiz de Araújo, Arnaldo Gonçalves Viana e Januário Bernardo Lopes. Os primeiros funcionários da Prefeitura de Dona Inês foram Assis Claudino, S. Didi, D. Nicinha, Lourival Bezerra, D. Iêda.
O segundo Prefeito foi o Joaquim Cabral de Melo, um latifundiário possuidor de quase 4 mil hectares de terras no município que continuou a obra de Mozart. Cabral era ex-militar da Marinha, casado com Zélia, serviu no Rio de Janeiro e era filho adotivo do Juiz José de Melo, proprietário da Fazenda Tanques e Sitio, de quem herdou sua imensa fortuna, e de dona Ana da Conceição Melo, cujo pai era o Coronel Zé Antonio, proprietário de boa parte das terras que deu como dote a Zé de Melo. Joaquim era um homem prático, decidido, voluptuoso. Era considerado um Coronel, aquele tipo que mandava e desmandava, temido e odiado pelos adversários. Segundo os mais antigos, o Dr. Zé de Melo herdeu uma grande propriedade, mas aumentou sobremaneira comprando as terras vizinhas das suas. Por ser o juiz, homem conhecedor das leis e muito temido pela população ignorante, adquiria terras a preço de banana, às vezes contra a vontade do proprietário. A Câmara tinha agora 7 representantes do povo: Luiz Leodegário da Cruz Filho; José Antonio da Silva (Zuza); José Oliveira de Araújo (Zé Berto); Antonio Luiz de Araújo (Antonio Lucas); Arnaldo Gonçalves Viana; Pedro Pereira da Costa e Manoel Pereira dos Santos. Nessa época começou nova leva de funcionários: Francisco Guilherme dos Santos (Chicute), José Arlindo Fernandes (Bonitinho), José Antonio, Maria Borges e Francisquinha.
Os demais Prefeitos foram: Antonio Luís de Araújo, Joaquim Cabral, Luís José, José Eugênio (filho de Joaquim Cabral), Ramon Ferreira, Luís José, Antonio Justino, Luís José, Luis José, Antonio Justino. (informações detalhadas de cada Administração no sitio municipal oficial: (www.pmdonaines.pb.gov.br)
Ao longo dessas administrações, a pequena e pacata cidade foi se desenvolvendo muito lentamente em alguns momentos e mais acelerada em outros. Na parte de infraestrutura alcançou bons níveis de crescimento, com energia elétrica na zona rural, construção de escolas, praças, ginásios de esporte, calçamento de quase todas as ruas; mas no índice de desenvolvimento humano, deixou muito a desejar, de forma que a população continua muito dependente da Prefeitura e dos projetos sociais do Governo Federal.
Durante os anos da Ditadura, aconteceram diversos confrontos entre o poder público e a Igreja Católica apoiando partidos de oposição, que também recebia apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Era uma luta pela terra e por igualdade nas políticas públicas. Nessa época, as festas eram separadas, promovidas pelas duas frentes e quem pertencia a uma facção política não pisava na festa da outra.
No início dos anos 80 a rodovia que liga a cidade ao Bilinguim foi asfaltada e melhorou muito as condições do município. Todavia, o serviço não foi concluído a contento, de forma que não foi colocada a sinalização pertinente numa estrada repleta de curvas e faltou a área de acostamento. Hoje a rodovia está praticamente abandonada e é considerada perigosíssima, por ser muito estreita, sem área de escape e aclives e declives e 11 curvas, além de animais na pista.

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

HOMENAGEM A UM DOS MAIORES DEFENSORES DOS DEREITOS DO HOMEM DO CAMPO

SIMPLES MAIS SINCERA HOMENAGEM.

No ultimo dia 11 de novembro (11/11/2013), foi o aniversário de 86 anos do sr Antonio Elias um dos maiores líder sindical que Dona Inês já teve.


 Hoje ser presidente do Sindicato Rural de Dona Inês,é um privilegio ou apenas um emprego,para os que ai estão.
Queria velos nas épocas dos lati-fundos,sempre sobre ameaças de morte por parte dos fazendeiros poderosos,protegidos pela ditadura.


Tenho a honra de ser seu amigo,por lhe conhecer desde meu nascimento,pois ele e meu já falecido pai foram grandes amigos.

Vida longa ao velho guerreiro.

Minha admiração.

MEUS PARABÉNS!!! 

sábado, 9 de novembro de 2013

PB não tem estatísticas de crianças e adolescentes desaparecidos

Paraíba não está inclusa no Cadastro Nacional de Crianças Desaparecidas.
Promotor diz que sociedade não denuncia todos os casos.


Desde 2012, em acordo firmado entre a Universidade de Granada, na Espanha, e a Secretaria de Segurança, a Paraíba se tornou o primeiro estado brasileiro a usar exames de DNA para identificar crianças e adolescentes desaparecidos. Mesmo assim, o estado não possui estatísticas do número de desaparecidas. No Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidas aparecem apenas os dados de 17 estados e a Paraíba não está incluída.

O promotor da Infância e Juventude, Herbert Targino, explica que a falta de dados no estado também se dá por falta de contribuição da sociedade. “Muitos dos casos que acontecem no estado não chegam ao conhecimento das instituições responsáveis”, disse.

“Muitos dos jovens desaparecem por conta de envolvimento com drogas, com o tráfico, com a prostituiçã, as famílias não buscam efetivamente fazer as denúncias, fazer o registro policial e isso atrapalha os órgãos a conseguir um levantamento desses números”, continuou.

O promotor explica que muitos desaparecimentos são temporários, muitas vezes por fuga dos jovens, mas que também devem ser registrados. “Se houve desaparecimento, deve ser feito o registro da ocorrência, seja em uma delegacia, no Ministério Público, Conselho Tutelar, Juizado da Infância e Juventude, mas há necessidade da denúncia”.
Do G1-PB

Os muitos casos, que a não chegam ao Estado, é por pura incompetência do próprio Estado. Em 1 Estado, onde se tem 1 delegado para três cidades, onde se tem cidades com números de habitantes, entre 12 e 15 mil, com 2 ou 3 PMs. O que dizer !
Antes de culpar a sociedade, deve-se cobrar dos governantes.
Cito como ex. a cidade de Dona Inês, hoje com cerca de 11 a 12 mil habitantes, não tem delegado, tem 2 ou 3 PMs e 1 viatura. Quando os PMs sai em 1 ocorrência a cidade fica sem proteção policial.
Aí vim culpar a sociedade, é tapar o Sol com 1 peneira.
A culpar da sociedade é votar em tais políticos.

(Dé Anízio).

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

VOCÊ SABE ONDE É ISTO ?


 Paulinho nada com dificuldade em meio ao lixo e à lama (Foto: Diego Nigro/JC Imagem)
ENTÃO VOCÊ VAI FICAR SABENDO AGORA. 
É NO RECIFE, CAPITAL PERNAMBUCANA, CIDADE ADMINISTRADA PELO PREFEITO GERALDO JULIO (PSB) ALIADO POLÍTICO DO GOVERNADOR EDUARDO CAMPOS (PSB), PRE-CANDIDATO A PRESIDENTE DA REPUBLICA NAS ELEIÇÕES DO ANO QUE VEM.
video

Eles nadam onde nem os peixes se atrevem. De longe, suas cabeças se confundem com os entulhos. Pela falta de quase tudo na terra, mergulham no rio de lixo atrás da sobrevivência. Lá sim tem quase tudo: latinhas, garrafas, papelão, móveis velhos, restos de comida, moscas, animais mortos. Menos dignidade. Lá, no Canal do Arruda, Zona Norte do Recife, o absurdo é rotina. Anfíbios e miseráveis catam sonhos onde o pesadelo é retrato soberano. São três meninos da comunidade Saramandaia, melados até o pescoço da lama do abandono, numa área que o prefeito da capital, Geraldo Julio (PSB), elencou como prioridade de sua gestão e que, até agora, não viu resultados senão promessas.

O sol inclemente não intimida. É preciso aproveitar a maré baixa, quando os resíduos se acumulam. A cena choca, intriga, envergonha. Em pleno 2013. Em plena capital pernambucana. Aos olhos de todos. O Canal do Arruda, foz de boa parte do lixo recifense, é a mina de ouro de Paulo Henrique Félix da Silveira, 9 anos; Tauã Manoel da Silva Alves, 10; e Geivson Félix de Oliveira, 12, unidos pelo sangue, pela necessidade e pela indiferença do poder público.

Moram em dois barracos na comunidade de Saramandaia, também na Zona Norte, e não hesitam em entrar no fosso. Antes, era só para tomar banho, diversão infantil ocasional. Há mais de ano, passou a ser ganha-pão. Paulinho via as cerca de cem famílias que trabalham com reciclagem na região e decidiu tomar o mesmo caminho. Encontrou seu nicho, o pior de todos, e arrastou os primos.

Paulinho, Galego e Geivson, embora exemplos radicais da realidade, não estão sozinhos. De acordo com o perfil dos catadores brasileiros elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), baseado no Censo 2010, 3,6% dos 20.166 pernambucanos que trabalham com reciclagem têm entre 10 e 17 anos. São, oficialmente, só 726 crianças e adolescentes no Estado que tiram seu sustento do lixo. Nas cifras do trabalho infantil em geral, o número sobe para 1.329.229. Na faixa etária dos pequenos catadores de Saramandaia, até 13 anos de idade, há 665.500 pernambucanos trabalhando, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O trio se acotovelava entre dejetos mil para catar latas de alumínio e garantir o alimento de duas famílias com, ao todo, 18 pessoas. Nadava em meio a tudo que a cidade vomita. Paulinho, o menor e mais astuto dentro d’água, tapava a boca com veemência. Tinha noção exata do risco que corria. Ainda não sabe ler, mas conhece da vida o suficiente para não deixar entrar uma gota sequer daquela lama de cheiro insuportável e chamariz de doenças. Febre e diarreia são constantes.

O lixo lhe cobria o pescoço. A cabeça erguida com dificuldade denunciava que ele estava ali, quase sumindo entre materiais recicláveis, comida descartada, brinquedos quebrados, roupas velhas, sacolas e tudo mais que se possa imaginar. Parecia parte daquilo. Geivson, o mais velho, acompanhava o primo Paulinho na missão inglória e diária.

Tauã, chamado por todos pelo apelido de Galego e irmão de Geivson, foi o único que não teve coragem de se embrenhar no meio do canal. Na beira, um pé lá e um pé cá, cumpria sua função na engrenagem do absurdo: recolhia as latas catadas pelos outros dois. Quando precisava ir mais no fundo para pegar algo que caiu, reclamava: “Não quero me sujar”. Juntava tudo em um saco de farinha que é quase de sua altura.

O trabalho costuma durar horas, até a maré permitir. Findo o serviço, lavam-se no lado menos poluído do fosso. “Tem que se limpar, né?”, frisa Paulinho, banhado de inocência. À tarde, eles trocam o que cataram num galpão de reciclagem localizado em Saramandaia mesmo. As latas saem tão sujas de lama que nem o depósito aceita. É preciso lavá-las antes. “A gente tira uns R$ 5 por dia”, gaba-se Geivson. Em dia ruim, o esforço rende apenas R$ 1. Paulinho queria comprar biscoitos. Galego e Geivson prometeram entregar o dinheiro à mãe. Invejaram o primo.

No rio de lixo, encontram de tudo: bola, carrinhos e bonecas; galinha, cachorro e gado morto. Até jacaré já foi visto pelas cercanias, prova de que o risco vem de todos os lados.

Algumas feridas abertas na pele desvelam doenças trazidas pela água suja – Galego tenta esconder com a mão uma dermatite perto da boca; os outros têm pés e canelas cortadas por cacos de vidro. Outras feridas, invisíveis, se revelam numa conversa mais demorada. “Se a vida é assim, fazer o quê? Vai ter que ser. A gente só faz isso porque precisa. Seria bem melhor se não precisasse”, reflete Galego. Achou a resignação no meio do lixo.


Do Jornal do Comercio

MAIS PERDIDO DO QUE ACHADO.

Aécio apresenta 2º projeto sobre o Bolsa Família em duas semanas.

Possível candidato à presidência propõe manutenção do Bolsa Família para beneficiários com emprego - Felipe Rau/Estadão
Uma semana após propor tornar definitivo o Bolsa Família, o senador Aécio Neves, provável candidato à presidência pelo PSDB, apresentou nova proposta que tem como alvo a principal bandeira do PT. Em projeto de lei protocolado nesta quarta-feira no Senado, 6, o tucano propõe manter por até seis meses o pagamento do Bolsa Família a beneficiários que conseguirem emprego.

"É um estímulo para que as pessoas que recebem o benefício possam se reinserir no mercado de trabalho", destacou o provável candidato da sigla ao Planalto, após participar de reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.
Na semana passada Aécio propôs transformar o Bolsa Família em um programa de governo, tornando-o definitivo. O texto, que ainda não começou a percorrer as comissões temáticas do Senado, altera a lei que trata da assistência social e vincula o Bolsa Família ao Fundo Nacional de Assistência Social, com recursos garantidos da Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS).
Nesta quarta-feira, o senador tucano voltou a classificar o programa como "peça eleitoreira e instrumento para estatísticas oficiais". Para Aécio, falta ao Bolsa Família estratégias para tirar em definitivo as pessoas da miséria e qualificá-las para entrar no mercado de trabalho.
"Um dos problemas que constatamos é que pais de família, mesmo com uma oferta de trabalho, têm receio de amanhã eventualmente serem demitidos e terem que voltar ao programa e não conseguirem rapidamente sua reinserção", disse. Aécio deve apresentar ainda outras propostas "para que haja um esforço maior do que existe hoje para a qualificação daqueles beneficiários do Bolsa Família e um acompanhamento maior".

domingo, 3 de novembro de 2013

Domingo (3) Dia Internacional das Pessoas com Deficiência :


Dia Internacional das Pessoas com Deficiência é celebrado nesta
Domingo, 3 de dezembro. 
A data é promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU)
para “mobilizar a defesa da dignidade, dos direitos e do bem estar
das pessoas”, além de tentar aumentar a consciência dos benefícios
 trazidos pela integração das pessoas com deficiência em cada aspecto
da vida política, social, econômica e cultural.
Na Grécia, país que vive diariamente os problemas
causados pela crise financeira mundial, pessoas com
deficiência fizeram uma manifestação.
Em mensagem publicada no site oficial organização,
o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, destacou a
importância das pessoas com deficiência para a sociedade.
“Este ano, os Jogos Paraolímpicos são uma lembrança
do imenso potencial das pessoas com deficiência. Uma
menina escreveu sobre um campeão paraolímpico da
medalha de ouro, ‘observando como você superar as
dificuldades da vida, tentando alcançar novas vitórias e
novos patamares de esportes, eu ganhei força e inspiração’.
Pessoas com deficiência têm um impacto positivo
significativo sobre a sociedade e suas contribuições
podem ser ainda maiores quando removidos os
obstáculos à sua participação. Com mais de um
bilhão de pessoas com deficiência no mundo, isso
se torna mais importante do que nunca.
Nosso desafio é oferecer a todos as pessoas igualdade
de acesso, para criar um mundo melhor para todos.
Na ‘Rio +20 – Conferência das Nações Unidas sobre
Desenvolvimento Sustentável’, foi determinado que ‘a
acessibilidade é fundamental para alcançar o futuro que
queremos’.
Juntos, devemos nos esforçar para alcançar os objetivos
da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das
Pessoas com Deficiência: para eliminar a discriminação
e exclusão, e para criar sociedades que valorizam a
diversidade e inclusão”.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

ELEIÇÕES-2014: A desputa pelo Nordeste

DILMA (PT):
A presidente Dilma Rousseff (PT) largou na frente na montagem de palanques de apoio na região Nordeste, reduto eleitoral do governador de Pernambuco e possível adversário em2014, Eduardo Campos (PSB).

A petista deve ter candituras aliadas estruturadas nos nove Estados e dois nomes na disputa majoritária em pelo menos quatro (Maranhão, Ceará, Alagoas e Paraíba).

Campos planeja lançar candidatos em todos os Estados da região, mas sem respectiva de duplo apoio em nenhuma praça.

AÉCIO (PSDB):
Aécio Neves (PSDB-MG) deverá contar com nomes aliados nos noves Estados, mas os tucanos enfrentam dificuldades para montar palanques sólido nos maiores eleitorados.

É nesse eixo que Dilma aposta suas fichas. Ela terá aliados tidos como competitivos na Bahia (26% do eleitorado da região), Pernambuco (17%), e Ceará (16%).

O problema para os petistas é que a saída de Campos da coalizão governista e o consequente lançamento de seu nome ao Planalto cria barreira para que ela repita o feito de 2010, quando obteve no segundo turno 70% dos votos válidos no Nordeste.

EDUARDO CAMPOS (PSB):
Reeleito governador com 83% dos votos válidos em 2010, Campos tem o principal palanque em seu Estado, mesmo não tendo ainda definido o nome que irá apoiar para sua sucessão.

Seu entrave mas sério no Nordeste é o Ceará, Estado em que Dilma conseguiu manter sob sua influência o governador Cid Gomes e seu irmão ex-ministro Ciro Gomes. Ambos não aceitaram a cisão com o Planalto e deixaram o PSB de Campos para ingressar no neogovernista Pros.

Já Aécio tem apoio tímido em Pernambuco, onde pode até mesmo se aliar ao candidato de Campos, e no Ceará, onde dependerá quase que exclusivamente do amparo  de Tasso Jereissati (PSDB), que não conseguiu se reeleger para o senado em 2010.

Na Bahia, ele espera a definição da candidatura de oposição entre o ex-governador Paulo Souto (DEM) e Geddel Vieira Lima (PMDB).


O QUE DIZ CÁSSIO
''Há um certo mito nesta história de palanques. O eleitor vota com a convicção, e com o convencimento", afirma o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), é um dos principais articuladores da candidatura de Aécio e ex-governador da Paraíba.

Para ele o ingresso de Campos na disputa é o que chama de ''esgotamento" dos efeitos da Bolsa Família como novidade eleitoral afetarão a performance petista na região.


''O cenário nordestino é muito bom para Dilma, ela sai com larga vantagem em relação a qualquer outro. Por aqui, não temos medo de enfrentar a campanha", contra-argumenta o líder da bancada do PT na Câmara, José Guimarães (CE).

Aliados de Campos apostam em sua identidade com o Nordeste para dar a ele desempenho expressivo na região ano que vem.

INDEFINIÇÃO:
No Maranhão, o Estado de tamanho intermadiário do Nordeste, os trés presidenciáveis ensaiam apoio ao mesmo nome Flávio Dino (PC do B), que lidera as pesquisas e que está hoje no governo federal, presidindo a Embratur.

Mas a família Sarney pressiona a presidente Dilma a ficar com o candidato do clã, ainda indefinido. Nos outros cinco Estados Dilma também já tem perspectivas de palanques, mas em Sergipe pode dividi-lo com Campos.

O governador de Pernambuco e Aécio podem dividir o palanque na Paraíba e no Piauí, Estados hoje governados pelo PSB. Em Alagoas, a situação é uma das mais indefinidas, já que o governador Teotônio Vilela (PSDB) ainda não escolheu quem apoiar.

Fonte Jornal Folha de S.Paulo

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Atual secretário de Haddad recebeu propina em esquema de obras

O SBT Brasil teve acesso, com exclusividade, aos nomes dos deputados que liberavam emendas parlamentares, em troca de propina. O escândalo veio a público em 2011. O deputado João Antônio (PT), é atual secretário de relações governamentais do governo do prefeito Fernando Haddad. Os detalhes na reportagem de Fábio Diamante.

VIDEO
video
TV Uol

Paraibana ''Lucy Alves" encanta os técnicos com seu sotaque característico !!!

Eita muié arretada, essa ''Lucy Alves", é Paraíba, é Nordeste, é Brasil !!
 (Foto: Isabella Pinheiro/TV Globo)
Natural de João Pessoa, na Paraíba, Lucy Alves começa sua Audição no The Voice Brasil de maneira diferente. A participante inova e toca sanfona enquanto interpreta “Que nem Jiló”, clássico do Rei do Baião Luiz Gonzaga.

Carlinhos Brown Lulu Santos viram a cadeira para a paraibana e dizem estar maravilhados com a apresentação da moça. “É uma grata surpresa quando viramos e encontramos uma coisa linda assim. Você cantou a música mais linda. Sua originalidade me encantou. Seu sotaque mostrando o regionalismo é demais. Você me ganhou no conjunto”, se derrete Lulu, ao falar do sotaque da moça.  “Sua primeira voz foi a sanfona. Me deu uma saudade de Seu Luiz (Gonzaga). Você abrilhantou a nossa noite”, continua Brown.

Enquanto o príncipe Daniel sobe ao palco para pegar a sanfona de Lucy para ela não segurar peso, Claudia Leitteexplica o porquê de não ter apertado o botão para a participante. “Não virei só por estratégia mesmo. Já tenho duas moças no meu time, mas você me emocionou demais”.

Restou a Lucy Alves escolher entre Lulu Santos e Carlinhos Brown. “Admiro todos como pessoa e pela qualidade musical, mas hoje eu vou ficar com o Brown. Me dê essa honra”. Brown, satisfeito, sobe ao palco para abraçar e acolher a nova integrante de seu time.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

'Mendigo deveria virar ração para peixe', diz vereador de Piraí, RJ; veja


Vereador José Paulo, o Russo (PT do B), de Piraí, RJ (Foto: Reprodução/YouTube)

Uma declaração do vereador José Paulo Carvalho de Oliveira, o Russo (PT do B), gerou polêmica em Piraí, no Sul do Rio de Janeiro. Durante sessão ordinária da Câmara Municipal, ele declarou que é contra o voto de moradores de rua. "Mendigo não tem que votar. Mendigo não faz nada na vida. Ele não tem que tomar atitude nenhuma. Aliás, eu acho deveria até virar ração para peixe", disse.

O comentário foi feito no dia 8 de outubro, em uma discussão sobre os 25 anos da Constituição Federal. O vídeo foi publicado no perfil de uma rede social, administrado pela Câmara Municipal de Piraí. (José Paulo começa a discursar a partir do minuto 46).

Em 12 minutos de pronunciamento, ele também se posicionou a favor da pena de morte. "Quando acabaram com a pena de morte, eu achei uma pena isso. Deveria haver pena de morte. 'Ah, vai matar inocente'. Não vai. Ainda que matasse, ia morrer muito menos inocente do que morre hoje, porque se um bandido soubesse que ele ia ser morto, com certeza ele ia pensar mais um pouquinho antes de fazer as coisas", discursou.

Procurado pelo G1, o presidente do PT do B em Piraí, César Mackenzie, disse que o partido só vai se pronunciar após o esclarecimento oficial de José Paulo. "Uma comissão de ética do partido vai convocá-lo a prestar esclarecimentos e só depois disso nós vamos ter uma posição", disse Mackenzie, que informou também que ainda não há uma data definida para que o vereador se explique das declarações.

José Paulo, de 48 anos, foi eleito em 2012 com 322 votos e cumpre seu primeiro mandato. A reportagem do G1 tentou entrar em contato com o parlamentar, mas ele não retornou as ligações até a publicação desta reportagem.

Do G1-RJ

domingo, 27 de outubro de 2013

PM anuncia 'forte resposta' a grupo que agrediu coronel

Polícia afirma que Estado reagirá com veemência a ativistas do black bloc responsável por vandalismo.

O porta-voz da Polícia Militar, major Mauro Lopes, disse ontem (26) ''o Estado vai dar uma resposta muito forte a esse bando de criminosos" , referindo-se aos ativistas do grupo black blocs, que nasexta-feira agrediu o coronel Rynaldo Simões Rossi durante manifestações no centro de São Paulo. Lopes afirmou ainda que a cidade foi ''violentada por delinquentes e marginais". A polícia também anunciou a prisão de Paulo Henrique Santiago dos Santos, de 24 anos, um dos acusados das agressões ao coronel. Por meio de sua conta no Twitter, a presidente Dilma Rousseff qualificou a violência nos protestos de São Paulo de ''barbérie antidemocrática" . O governador Geraldo Alckmin reiterou que não vai tolerar ''a ação de vândalos" durante as manifestações.

domingo, 20 de outubro de 2013

HORÁRIO BRASILEIRO DE VERÃO-203/2014. VOCÊ JÁ ADIANTOU SEU RELÓGIO ?

Iniciou-se, o horário de Verão 2013/2014, à 0h deste domingo (20)


As populações das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão adiantar seus relógios em uma hora a partir do próximo domingo, 20 de outubro de 2013. É quando começa a 38ª edição do Horário Brasileiro de Verão.
A alteração no horário acontece em dez estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além do Distrito FederalNeste ano, Tocantins não adotará o horário de verão, como havia feito no ano passado, nem a Bahia, que adotou em 2011.
As estimativas de economia de energia para a temporada 2013/2014 são da ordem de R$ 400 milhões, valor que corresponde ao acionamento de térmicas que deixam de ser ligadas para evitar sobrecarga no sistema.
Além disso, cerca de R$ 4,6 bilhões precisariam ser gastos em investimentos em geração e transmissão, caso a medida não fosse adotada, para garantir o suprimento durante o período. "Não é o governo que economiza, é a sociedade", explicou o Secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Ildo Grudtner. "A energia elétrica é paga pela sociedade, então ela paga menos, graças à medida". 
A redução da demanda no horário de ponta (entre 19h e 21h) é de até 4,5% (2.695 MW) e a redução no consumo de energia é da ordem de 0,5%. Nos últimos dez anos, a medida possibilitou uma redução média de 4,6% na demanda por energia no horário de maior consumo.
"O horário de ponta ocorre porque é uma coincidência da entrada da iluminação pública com o consumo nas residências. A hora que as pessoas chegam em casa, daí ligam ar condicionado, televisão, abrem geladeira, vão pro chuveiro. É essa coincidência de consumo que faz o maior consumo nesse horário", explicou o secretário.
O Horário 
A norma possui o objetivo de conscientizar a população em relação ao aproveitamento da luz natural, além de estimular o uso, de forma racional, de energia elétrica. Na prática, o adiantamento do horário em uma hora diminui o carregamento nas linhas de transmissão, subestações e nos sistemas de distribuição, de forma que, o atendimento em períodos de maior consumo ocorra com maior eficiência. 
Período de vigência
O Decreto nº 6.558 de 2008 determina que a temporada para ajustar os ponteiros do relógio deve começar no terceiro domingo do mês de outubro, prolongando-se até o terceiro domingo de fevereiro do ano subsequente. 
A medida também estabelece que quando a data de término coincidir com o feriado do carnaval, o encerramento se estende ao domingo seguinte.  
COMO FICAM OS ESTADOS:
=00h00: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais,Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, e Distrito Federal (todos, horario de Brasília)
-1 hora: Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins ( todos, 1 hora a menos do horario de Brasília).
-2 horas: Acre, Amazonas, Roraima, e Rondônia ( todos, 2 horas a menos do horario de Brasília).

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

AUMENTO SALARIAL-2013

Agora é oficial, foi homologado nesta terça (15), a Convenção Coletiva-2013/2014, com data base 1° de outubro de 2013, entre o SECOVI (sindicato patronal) e o SINDIFICIOS (sindicato dos trabalhadores em edifícios), que trata do aumento salarial dos Empregados em Edifícios e Condomínios comerciais e mistros de São Paulo.
Como já havia adiantado, não muda em nada no que postei anteriormente, será 8% (oito por cento) para todos os itens.
Vejam abaixo:

PISOS SALARIAIS JÁ REAJUSTADOS:
1º-Zelador: R$ 1.043,90 (mensal)
2º-Porteiro: R$ 999,97 (mensal)
3º-Faxineiro: R$ 956,05 (mensal)
4º-Cesta Básica: R$ 172,80 (mensal)
5º-Vale-refeição: R$ 5,40 (dia trabalhado)

Fonte: SECOVI

Saiba mais

Campos inaugura escola que funciona há 7 meses no Recife


Governador de Pernambuco e candidato <br>a presidente, Eduardo Campos inaugura escola que funciona há 7 meses no Recife

Em evento com direito a bandinha, descerramento de placa e palanque, o governador Eduardo Campos (PE) inaugurou ontem na periferia do Recife uma escola que já funciona desde março.

Apesar do feriado escolar do Dia do Professor, parte dos 784 alunos da Escola Monsenhor Manuel Marques compareceu ao evento, a convite da direção.

Duas professoras e uma ex-diretora da escola disseram à reportagem que há aulas no local desde março. Em 20 anos, a escola mudou de endereço algumas vezes.

Questionado, o pré-candidato do PSB à Presidência da República disse que não viu problema em inaugurar uma escola em operação há sete meses.

"Ruim é quando a gente inaugura e não está pronto. Quando a gente inaugura o que está funcionando, a gente deveria ter o reconhecimento. Sobretudo se vocês [jornalistas] tivessem visitado a escola como era antes."

No mesmo evento, o governador lançou programa de intercâmbio para professores de inglês, que permitirá a 17 docentes da rede estadual aperfeiçoamento na Inglaterra durante quatro semanas.

Na unidade oficialmente inaugurada ontem, contudo, pais e alunos dizem que há cerca de quatro meses não há aulas de inglês, o que gerou protestos.

A empregada doméstica Ana Amélia Pereira, 38, disse ter ido à escola para cobrar aulas de inglês para seu filho, Luiz Gustavo Pereira, 11, aluno do quinto ano. Ele disse não ter professor de língua inglesa há quatro meses.

"A antiga professora se demitiu e nunca mais se tocou no assunto", afirmou.

"Acho isso um absurdo. Como é que se vai exigir que tenha uma boa educação sem ter professor?", questionou a mãe do aluno, Ana Amélia.

David José dos Anjos, 16, aluno do oitavo ano, disse não ter professor de inglês desde que a escola começou a funcionar. "Disseram que ia chegar, mas até agora não chegou. Acho que isso atrasa a gente um pouco", afirmou.

Questionado, Campos disse num primeiro momento que era difícil encontrar professores de língua inglesa.

"O professor que está na rede às vezes é chamado para um curso, é chamado para uma outra escola, e a gente tem que buscar o professor de inglês, que não é tão fácil encontrá-los", afirmou.

MESTRADO
Após o evento, o governador voltou aos jornalistas e disse que o professor de inglês da unidade foi liberado para fazer mestrado.

"Eu podia cercear o direito dele de se aperfeiçoar. Mas queremos que ele se aperfeiçoe", afirmou, informando em seguida que um novo profissional já foi contratado para a vaga.
A direção da escola informou que as aulas de inglês foram normalizadas "há uma semana e meia".

Da Folha de S.Paulo